From 1 - 10 / 74
  • Categories      

    Camada de origem: [Coordenadas geográficas dos focos de fogo ativo na vegetação (queimadas/incêndios florestais)](http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/geonetwork/srv/eng/catalog.search#/metadata/6422463f-3652-437f-bb33-2ac7bbc9bebe) Este subconjunto de dados de focos de fogo ativo apresentados no painel AMS são obtidos diariamente por meio de geoserviço WFS, utilizando filtros por Bioma e satélite de referencia 'AQUA'.... Abaixo existe uma descrição dos atributos do dado: Nome do Atributo: Tipo e Descrição ---- - view_date data - Data de referência da passagem do satélite segundo o fuso horário de Greenwich (GMT); - satelite string - Nome do algoritmo utilizado e referência ao satélite provedor da imagem; - municipio string - Nome do município. Para o Brasil foi utilizado como referência o dado do IBGE 2000 (http://mapas.ibge.gov.br/bases-e-referenciais/bases-cartograficas/malhas-digitais.html) - estado string - Nome do estado (nível 1 do Database of Global Administrative Areas - GADM) http://www.gadm.org - precipitacao double - Valor da precipitação acumulada no dia até o momento da detecção do foco; - diasemchuva integer - Número de dias sem chuva até a detecção do foco; - riscofogo double - Valor do Risco de Fogo previsto para o dia da detecção do foco;

  • Esse conjunto de dados, recortado pelos limites do bioma Amazônia(*), apresenta a revisão nos levantamentos de anos anteriores ao ano corrente de mapeamento, resultando em áreas de resíduo de desmatamento. O mapeamento utiliza imagens do satélite Landsat ou similares, para registrar e quantificar as áreas desmatadas maiores ou iguais a 6.25 hectares. O PRODES considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas. Os limites dos biomas brasileiros foram alterados conforme publicação do IBGE de 30/10/2019. Este conjunto de dados foi ajustado para o novo recorte. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25798-ibge-lanca-mapa-inedito-de-biomas-e-sistema-costeiro-marinho (*) Consulte os metadados de "Limites do Bioma Amazônia" para informações sobre os limites do bioma que estamos usando nesta operação: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/geonetwork/srv/eng/catalog.search#/metadata/481e439e-b0fa-4cb0-890b-11941264db69 Descrição dos atributos do dado composto por: nome do atributo, tipo do dado e descrição --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- uuid - uuid - identificador único universal de cada feição uid - número inteiro - identificador para rastreabilidade da feição na origem/produção do dado state - texto - estado/unidade da federação path_row - texto - código da cena formado por linha/coluna da grade de passagem do satélite Landsat main_class - texto - nome da classe principal atribuída à feição class_name - texto - nome da classe específica atribuída à feição (Ex.: Resíduo em 2020 = "r2020") def_cloud - número - Ano que indica desde quando esta área está coberta por nuvens. Fazendo a diferença do ano corrente onde se detectou o desmatamento e def_cloud, temos o número de anos coberto por nuvens. Preenchido quando aplicável. julian_day - número - dia juliano image_date - texto - data da cena usada para obter a feição. year - número - ano do desmatamento, usado para facilitar as consultas ao banco de dados area_km - número - área calculada para a feição em km² scene_id - número - identificador da cena no banco de dados, usado para consultas publish_year - data - usado para permitir a publicação do dado no GeoServer com dimensão temporal. source - texto - origem do polígono (amazonia, cerrado, caatinga, mata_atlantica, pampa, pantanal), caso o polígono tenha sido incorporado de outro projeto, por exemplo, devido à alteração do mapa de biomas ou ainda às zonas da amazônia legal no cerrado e pantanal. satellite - texto - nome do satélite. Em geral será o landsat mas em alguns casos, outro satélites podem ser utilizados. sensor - texto - nome do sensor que obteve a imagem. geom - feição composta por um ou mais polígonos - geometria obtida por interpretação visual de imagem de satélite. A lista de atributos é padronizada com o dado de desmatamento, classe principal do PRODES. Para as demais classe o preenchimento ocorre apenas quando aplicável.

  • Categories    

    Áreas com nuvem em 2022 para 108 cenas prioritárias. Para gerar este dado, o INPE analisou um subconjunto de 108 cenas do sensor OLI/Landsat-8 dentro das 229 que recobrem a Amazônia Legal. As 108 cenas selecionadas como prioritárias atendem a três critérios: 1) cobrir a região onde foram registrados pelo menos 90% do desmatamento no período anterior do PRODES (agosto/2021 a julho/2022); 2) cobrir regiões onde foram registrados pelo menos 90% dos avisos de desmatamento do DETER 2021/2022; 3) cobrir os 43 municípios prioritários para fiscalização referidos no Decreto Federal 6.321/2007 e atualizado em 2018 e 2020 pelas Portarias No. 428 e 162 do Ministério do Meio Ambiente (MMA). O PRODES considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas. Saiba mais informações na nota técnica: https://www.gov.br/inpe/pt-br/assuntos/ultimas-noticias/divulgacao-de-dados-prodes.pdf Descrição dos atributos do dado composto por: nome do atributo, tipo do dado e descrição uuid - número inteiro - identificador único de cada feição (válido para este conjunto de dados) uid - número inteiro - identificador para rastreabilidade da feição na origem/produção do dado state - texto - estado/unidade da federação path_row - texto - código da cena formado por linha/coluna da grade de passagem do satélite Landsat main_class - texto - nome da classe principal atribuída à feição class_name - texto - nome da classe específica atribuída à feição sub_class - texto - classe com informação específica sobre a interpretação visual def_cloud - número - Ano que indica desde quando esta área está coberta por nuvens. Fazendo a diferença do ano corrente onde se detectou o desmatamento e def_cloud, temos o número de anos coberto por nuvens. julian_day - número - dia juliano image_date - texto - data da cena usada para obter a feição year - número - ano do desmatamento, usado para facilitar as consultas ao banco de dados area_km - número - área calculada para a feição em km² scene_id - número - identificador da cena no banco de dados, usado para consultas publish_year - data - usado para permitir a publicação do dado no GeoServer com dimensão temporal source - texto - origem do polígono (amazonia, cerrado, caatinga, mata_atlantica, pampa, pantanal), caso o polígono tenha sido incorporado de outro projeto, por exemplo, devido à alteração do mapa de biomas ou ainda às zonas da amazônia legal no cerrado e pantanal satellite - texto - nome do satélite. Em geral será o landsat mas em alguns casos, outro satélites podem ser utilizados sensor - texto - nome do sensor que obteve a imagem geom - feição composta por um ou mais polígonos - geometria obtida por interpretação visual de imagem de satélite * Importante notar que ao exportar o dado para o formato shapefile, algumas colunas poderão sofrer redução no tamanho e portanto os nomes de colunas descritos acima podem aparecer truncados.

  • Categories  

    Os dados de avisos de desmatamento exibidos na aplicação AMS - Amazon Situation Room, são provenientes da base oficial do projeto DETER-B e incluem alguns atributos extras obtidos de processos de agregação de polígonos de desmatamento, chamado de cluster de desmatamento, atributos obtidos do cruzamento com dados do CAR - Cadastro Ambiental Rural e atributos obtidos do cruzamento com dados do CNFP - Cadastro Nacional de Florestas Públicas. Detalhes sobre os dados DETER-B de entrada: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/geonetwork/srv/eng/catalog.search#/metadata/f2153c4a-915b-48a6-8658-963bdce7366c CAR - Baixado de https://car.gov.br/publico/ em agosto/2019 CNFP - Baixado de https://www.florestal.gov.br/cadastro-nacional-de-florestas-publicas em julho/2021 Descrição das colunas padrão do DETER-B publicação oficial --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- classname: Nome das classes atribuídas aos avisos, podendo ser: para degradação: ('CICATRIZ_DE_QUEIMADA', 'CS_DESORDENADO', 'CS_GEOMETRICO', 'DEGRADACAO') e para desmatamento ('DESMATAMENTO_CR', 'DESMATAMENTO_VEG', 'MINERACAO'); quadrant: Atualmente fora de uso para as imagens CBERS. No passado foi utilizada como parte da informação das imagens AWFI; path_row: Path e Row (orbita ponto) das imagens usadas na identificação do aviso; view_date: Data das imagens usadas na identificação do aviso; sensor: Nome do sensor embarcado no satélite, usado na obtenção da imagem; satellite: Nome do satélite que obteve a imagem; areatotalkm: Área calculada antes da fragmentação por intersecção. Não deve ser somada. Usada apenas para finalidade de filtro pela área original do aviso; areauckm: Área do aviso ou porção dele que intercepta uma unidade de conservação; uc: Nome da unidade de conservação interceptada pelo aviso; areamunkm: Área do aviso ou porção dele que intercepta um município. Use esta coluna em operações de soma de área; municipality: Nome do município interceptado pelo aviso ou porção dele; uf: Nome da Unidade da Federação na qual o aviso ou porção dele está localizado; Descrição das colunas de agregação --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- ncar_ids: numero inteiro que indica quantas unidades do CAR fazem intersecção com o alerta; car_imovel: texto com lista dos identificadores de cada unidade do CAR que faz intersecção com o alerta; continuo: valor original é numero inteiro sendo 0 ou 1 e mapeado para (0=não e 1=sim) indicando se faz parte de um desmatamento continuo; velocidade: numero fracionário que indica a área desmatada em um cluster pelo numero de dias em que esta ativo. (hectares/dia); deltad: numero inteiro que indica há quantos dias o cluster está ativo; est_fund: dado textual com o nome curto proveniente de interseção com matriz de estrutura fundiária (ver tabela de domínio nomes_estrutura_fundiaria); dominio: dado textual que indica o nome da unidade no cadastro nacional de floresta publica; tp_dominio: dado textual que indica o tipo da unidade no cadastro nacional de floresta publica (ver tabela domínio tipo_cnfp); Cluster de desmatamento --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Calculado em memoria para representar um conjunto de desmatamentos próximos. Usa técnica de buffer com limiar de proximidade de até 60 metros entre os polígonos de desmatamento. tipo_cnfp: Tabela de tipos das unidades relacionados à forma de proteção --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- "TIPO A" "USO MILITAR" "TIPO A" "PROTECAO INTEGRAL" "TIPO A" "OUTROS USOS" "TIPO A" "USO SUSTENTAVEL" "TIPO B" "SEM DESTINACAO" nomes_estrutura_fundiaria: Tabela de domínio com apelidos e nomes das estruturas fundiárias proveniente de compilado de dados do CAR(SFB/MAPA), Unidades de Conservação Federal e Estadual (ICMBio/MMA), Terras Indígenas(FUNAI/MJ) e Projeto Assentamento Rural (INCRA/MAPA): Fonte INPE/MCTI em agosto/2021 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- "BACKG" "Background" "TI" "Terra indigena" "UCE" "Unid. Cons. Estadual" "UCF" "Unid. Cons. Federal" "AC" "Área Consolidada" "APP_MR" "Área Preservação Permanente - margem rio" "AIMOV" "Área do Imóvel" "VNAT" "Vegetação Nativa" "RLA" "Reserva legal aprovada averbada" "RLP" "Reserva legal proposta" "APP_TM" "Área Preservação Permanente - topo morro" "POU" "Pousio" "UREST" "Uso Restrito" "QUIL" "Área Quilombola" "PAR" "Projeto Assentamento Rural" Nota sobre o SHAPEFILE: Ao exportar para shapefile os nomes das colunas sempre são reduzidos para dez (10) caracteres. Exemplo: a coluna "municipality" será renomeada para "municipali".

  • Áreas recobertas por nuvens e sombras quando houve a captação da imagem de satélite utilizada no mapeamento e recortadas pelos limites do bioma Amazônia(*). Os limites dos biomas brasileiros foram alterados conforme publicação do IBGE de 30/10/2019. Este conjunto de dados foi ajustado para o novo recorte. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25798-ibge-lanca-mapa-inedito-de-biomas-e-sistema-costeiro-marinho (*) Consulte os metadados de "Limites do Bioma Amazônia" para informações sobre os limites do bioma que estamos usando nesta operação: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/geonetwork/srv/eng/catalog.search#/metadata/481e439e-b0fa-4cb0-890b-11941264db69 Descrição dos atributos do dado composto por: nome do atributo, tipo do dado e descrição --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- uuid - uuid - identificador único universal de cada feição uid - número inteiro - identificador para rastreabilidade da feição na origem/produção do dado state - texto - estado/unidade da federação path_row - texto - código da cena formado por linha/coluna da grade de passagem do satélite Landsat main_class - texto - nome da classe principal atribuída à feição class_name - texto - nome da classe específica atribuída à feição def_cloud - número - Ano que indica desde quando esta área está coberta por nuvens. Fazendo a diferença do ano corrente onde se detectou o desmatamento e def_cloud, temos o número de anos coberto por nuvens. julian_day - número - dia juliano image_date - texto - data da cena usada para obter a feição year - número - ano do desmatamento, usado para facilitar as consultas ao banco de dados area_km - número - área calculada para a feição em km² scene_id - número - identificador da cena no banco de dados, usado para consultas publish_year - data - usado para permitir a publicação do dado no GeoServer com dimensão temporal source - texto - origem do polígono (amazonia, cerrado, caatinga, mata_atlantica, pampa, pantanal), caso o polígono tenha sido incorporado de outro projeto, por exemplo, devido à alteração do mapa de biomas ou ainda às zonas da amazônia legal no cerrado e pantanal satellite - texto - nome do satélite. Em geral será o landsat mas em alguns casos, outro satélites podem ser utilizados sensor - texto - nome do sensor que obteve a imagem geom - feição composta por um ou mais polígonos - geometria obtida por interpretação visual de imagem de satélite A lista de atributos é padronizada com o dado de desmatamento, classe principal do PRODES. Para as demais classe o preenchimento ocorre apenas quando aplicável.

  • Acervo de dados do sistema de monitoramento do desmatamento na Amazônia Legal. Conjunto de dados no formato Shapefile e GeoTIFF à partir de 2000 discretizadas por ano. Mais informações em: http://www.obt.inpe.br/OBT/assuntos/programas/amazonia/prodes

  • Categories    

    Limites das Ecorregiões propostas por Sano et al. (2019) adaptados aos novos limites dos Biomas. Para abranger toda a atual área do Bioma Cerrado, a Ecorregião Centro-norte Piauiense foi adicionada. Nome das colunas, tipo e significado. --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- name: texto - nome da Ecorregião;

  • Categories  

    Máscara de áreas não observadas do PRODES Caatinga. O PRODES considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas. Os limites dos biomas brasileiros foram alterados conforme publicação do IBGE de 30/10/2019. Este conjunto de dados foi ajustado para o novo recorte. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25798-ibge-lanca-mapa-inedito-de-biomas-e-sistema-costeiro-marinho O produto: Este recurso contém polígonos que identificam áreas recobertas por nuvens e sombras de nuvem e de relevo quando houve a captação da imagem de satélite utilizada no mapeamento do bioma Caatinga. Foi construído a partir da interpretação visual de imagens Landsat-8/OLI na composição R(5)G(6)B(4) - com resolução de 30m - e em escala de trabalho de 1:75.000. A área mínima mapeada é de um hectare (1 ha). O produto é compatível com a escala final de 1:250.000. A área total do bioma Caatinga é de 862.640 km². Descrição dos atributos do dado composto por: nome do atributo, tipo do dado e descrição -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- uuid - texto - identificador único universal de cada feição (RFC 4122, ISO/IEC 9834-8:2005) uid - número - identificador para rastreabilidade da feição na origem/produção do dado geom - feição composta por um ou mais polígonos - geometria obtida por interpretação visual de imagem de satélite. source - texto - nome da origem do poligono (amazonia, cerrado, caatinga, mata_atlantica, pampa, pantanal), caso o polígono tenha sido incorporado de outro projeto, por exemplo, devido à alteração do mapa de biomas ou ainda às zonas da amazônia legal no cerrado e pantanal path_row - texto - código da cena formado por linha/coluna da grade de passagem do satélite Landsat satellite - texto - nome do satélite. Em geral será o landsat mas em alguns casos, outro satélites podem ser utilizados. sensor - texto - nome do sensor que obteve a imagem. state - texto - nome do estado, unidade da federação, quando aplicável. main_class - texto - nome da classe principal atribuída à feição class_name - texto - nome da classe específica atribuída à feição def_cloud - número - indica se havia nuvem em ano anterior sobre a feição. (Não se aplica ao bioma Pampa) julian_day - número - dia juliano (Não se aplica ao bioma Pampa) image_date - data - data da cena usada para obter a feição year - número - ano da feição, usado para facilitar as consultas ao banco de dados area_km - número - área calculada para a feição em km² scene_id - número - identificador da cena no banco de dados, usado para consultas (Não se aplica ao bioma Pampa) publish_year - data - usado para permitir a publicação do dado no GeoServer com dimensão temporal (quando aplicável) Esta lista de atributos é padronizada com base no dado de desmatamento, classe principal do PRODES. Para as demais classes o preenchimento ocorre apenas quando aplicável. Sobre UUID -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- https://www.postgresql.org/docs/13/datatype-uuid.html https://www.rfc-editor.org/rfc/rfc4122

  • Categories  

    Hidrografia do PRODES Caatinga. O PRODES considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas. Os limites dos biomas brasileiros foram alterados conforme publicação do IBGE de 30/10/2019. Este conjunto de dados foi ajustado para o novo recorte. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25798-ibge-lanca-mapa-inedito-de-biomas-e-sistema-costeiro-marinho O produto: Este recurso contém polígonos que identificam áreas de corpos hídricos (rios, lagos, barragens e represamentos). Foi construído a partir da interpretação visual de imagens Landsat-8/OLI na composição R(5)G(6)B(4) - com resolução de 30m - e em escala de trabalho de 1:75.000. A área mínima mapeada é de um hectare (1 ha). O produto é compatível com a escala final de 1:250.000. A área total do bioma Caatinga é de 862.640 km². Descrição dos atributos do dado composto por: nome do atributo, tipo do dado e descrição -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- uuid - texto - identificador único universal de cada feição (RFC 4122, ISO/IEC 9834-8:2005) uid - número - identificador para rastreabilidade da feição na origem/produção do dado geom - feição composta por um ou mais polígonos - geometria obtida por interpretação visual de imagem de satélite. source - texto - nome da origem do poligono (amazonia, cerrado, caatinga, mata_atlantica, pampa, pantanal), caso o polígono tenha sido incorporado de outro projeto, por exemplo, devido à alteração do mapa de biomas ou ainda às zonas da amazônia legal no cerrado e pantanal path_row - texto - código da cena formado por linha/coluna da grade de passagem do satélite Landsat satellite - texto - nome do satélite. Em geral será o landsat mas em alguns casos, outro satélites podem ser utilizados. sensor - texto - nome do sensor que obteve a imagem. state - texto - nome do estado, unidade da federação, quando aplicável. main_class - texto - nome da classe principal atribuída à feição class_name - texto - nome da classe específica atribuída à feição def_cloud - número - indica se havia nuvem em ano anterior sobre a feição. (Não se aplica ao bioma Pampa) julian_day - número - dia juliano (Não se aplica ao bioma Pampa) image_date - data - data da cena usada para obter a feição year - número - ano da feição, usado para facilitar as consultas ao banco de dados area_km - número - área calculada para a feição em km² scene_id - número - identificador da cena no banco de dados, usado para consultas (Não se aplica ao bioma Pampa) publish_year - data - usado para permitir a publicação do dado no GeoServer com dimensão temporal (quando aplicável) Esta lista de atributos é padronizada com base no dado de desmatamento, classe principal do PRODES. Para as demais classes o preenchimento ocorre apenas quando aplicável. Sobre UUID -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- https://www.postgresql.org/docs/13/datatype-uuid.html https://www.rfc-editor.org/rfc/rfc4122

  • Categories      

    Mosaico espacial e temporal do PRODES Caatinga à partir de 2000. Os mosaicos utilizam imagens do satélite Landsat ou similares para minimizar o problema de cobertura de nuvens, e é composto pelas cenas principais utilizadas durante o processo de interpretação visual, para registrar e quantificar as áreas desmatadas maiores que 1 hectare. O PRODES considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas. Para consultar este dado de forma facilitada, utilize a camada via Geoserviço diretamente em seu sistema GIS de preferência. http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/geoserver/prodes-pampa-nb/temporal_mosaic_pampa/wms Recomendamos o uso de nosso plugin para o software QGis, "Plugin para QGIS - TerraBrasilis Data Source", que possui um mecanismo de acesso facilitado para mosaicos de imagens com componente temporal. Siga as instruções em: https://github.com/terrabrasilis/terrabrasilis_datasource